O.P.A.R. – Comentário: Moralidade “Anti-Evasão”

“Por sua natureza, a evasão é uma forma de não-integração. É a forma mais letal: a desintegração intencional de conteúdos mentais. Um homem nesta condição não tem mais meios para determinar consistência ou contradição, verdade ou falsidade. Em sua consciência, todo o conteúdo conceitual é reduzido ao caprichoso, ao sem fundamento, ao arbitrário; nenhuma conclusão se qualifica como conhecimento em uma mente que rejeita as exigências da cognição. Assim, o verdadeiro evasor […] atinge apenas um fim e um tipo de “segurança”: a cegueira total.”
Leonard Peikoff, “O.P.A.R.”, página 225.
(Pare de se evadir. Olhe para a realidade. Vê algo que não pode aceitar? Combata-o.)

O combate tem uma moralidade embutida, e ela é bela. Mas, por favor, entenda o que quero dizer com combate. Não é uma guerra ou uma situação violenta em que você se encontra. O combate é uma atitude em relação à vida, é escolher a luta ao invés de fugir. As formas mais facilmente reconhecíveis de combate são as explícitas, como a que eu pratico nas favelas, mas não é a aparência externa que importa — é a ética subjacente. Quando pressiono o gatilho do meu fuzil, não estou escolhendo a morte; eu estou escolhendo a vida — a vida de um homem qua homem como o seu padrão de valor.

Continuar lendo

Anúncios