Carta a um Amigo: Sobre a Família

Meu amigo,

Eu nunca tive a chance de te dizer isso, mas eu o faço agora porque acho que você deveria ouvir. Eu pensei nisso por causa da minha mãe, que está morrendo em um hospital. Eu pensei nisso por causa da minha filha, que está começando sua vida. E eu lhe escrevo por causa de sua esposa e de seu filho — por sua causa. Eu lhe escrevo por causa de sua família.

Continuar lendo

A Antítese do Combate: Ombros de Gigantes

Ombros de gigantes.
(por Maria Lindsey)

Quem quer que reconheça a República de Platão na série de postagens “A Antítese do Combate”, mesmo que seja apenas um pequeno vislumbre dela, com incomparavelmente menos qualidade filosófica e literária, não está na frente de uma mera coincidência. Sempre admirei a construção a partir do zero do estado de Platão, no Livro II da República, e acho que isso me veio à mente quando percebi quão inferiores às crianças são os adultos, e decidi me livrar deles (nós) no “meu estado”.

Continuar lendo

A Antítese do Combate: Chamado da Montanha

O chamado das Montanhas.
(“Crianças da base das montanhas”, por Doug Zwick / CC BY-NC 2.0)

Deixe-me agora aprofundar minhas suposições fantásticas e estabelecer que essas crianças nunca envelheceriam. Bem, elas acabariam alcançando sessenta, setenta ou até noventa anos de idade e depois morreriam como nós, mas seus corpos permaneceriam os mesmos por toda a vida. Isso significa que mulheres nunca existiriam, apenas garotinhas que não provocariam nem sentiriam nenhum apelo sexual. Meninos e meninas sempre cuidariam de suas tarefas e brincariam com seus brinquedos. Isso não quer dizer que eles não se tornariam maduros — sim, eles amadureceriam. Mas o prazer deles nunca deixaria aquele ludismo inocente da infância para a luxúria superficial de uma caçada alcoólica pelos prazeres da carne. Seus vícios seriam outros.

Continuar lendo

A Antítese do Combate

Crianças.
(por skeeze / CC0 1.0)

Imagine um cenário fantástico semelhante ao mostrado no filme “Filhos da Esperança“: os efeitos devastadores do nosso desleixo para com o mundo acabaram fazendo com que as mulheres não fossem mais capazes de engravidar; a raça humana está em contagem regressiva para a extinção. No meu cenário, o problema é ainda pior — todos, menos as crianças, morrem de repente.

Continuar lendo

O Combatente – #1

Quando o alarme dispara às duas da manhã, ele tem certeza de que ainda está sonhando. Ele apenas fechou os olhos, então não pode ser hora de acordar. Mas é. O problema é que depois de vinte horas trabalhando duro para proteger as famílias dos outros, tentando ganhar no setor privado o dinheiro que a polícia é que deveria fornecer, essas três horas de sono parecem passar como um relance, um breve interlúdio de vida tão profundo quanto a própria morte.

Continuar lendo