O.P.A.R – Capítulo 2: Preliminares para o Conhecimento

“Nenhum tipo de percepção sensorial pode registrar tudo. ‘A é A’ — e qualquer aparato perceptivo é limitado. Em virtude dela ser capaz de distinguir diretamente um aspecto da realidade, uma consciência pode não discriminar algum outro aspecto que requereria um tipo diferente de órgão dos sentidos. Quaisquer fatos que os sentidos registrem, no entanto, são fatos. E são esses fatos que eventualmente levam a mente ao resto do conhecimento.”
Leonard Peikoff, “O.P.A.R.”, páginas 43-44.
(Um lápis ou um graveto parece torto na água. Os antigos assumiram, portanto, que os sentidos são inválidos. O problema é quando os modernos continuam repetindo a mesma coisa.)

Epistemologia é a ciência que diz como uma consciência conceitual falível apreende uma realidade independente. Isso implica um processo volitivo operando com dados válidos. Portanto, o Objetivismo deve primeiro estabelecer dois fatos: que os sentidos são válidos, e que o homem é livre para pensar ou não.

Continuar lendo