Objetivismo e sua Estrutura Lógica

Minha parede objetivista: o diagrama da Estrutura Lógica do Objetivismo.

Eu decidi estudar Objetivismo — a filosofia de Ayn Rand — por dois motivos. Primeiro, o óbvio: eu concordo com muita coisa. Além disso, eu tive um sentimento desconcertante enquanto lia sua filosofia: parecia que alguém estava expressando meus próprios pensamentos melhor do que eu.

Mas isso é um tipo de eufemismo.

O que acontece é que eu, assim como a maioria, não pensava profundamente sobre os fatos da vida. Assim como as pessoas que Sócrates questionava pelas ruas após seu encontro com o oráculo (ver “Apologia”), eu não dava a atenção devida às minhas próprias convicções sobre a vida, não tentava valida-las nem defini-las propriamente. E, assim como aquelas pessoas, não entendia porque vivia sentindo uma certa ansiedade, um sentimento de algo faltando, de algo errado. Não conseguia perceber que tudo o que eu fazia era absorver do meio à minha volta meus próprios conceitos, como se eles pudessem vir prontos, processados por outros.

Eles não podem.

E, sinceramente, mais do que lendo Sócrates, foi lendo Ayn Rand que eu percebi de verdade que eles não podem. E é por isso que ela não expressa meus pensamentos: eu nunca consegui formar tais pensamentos por completo. É mérito dela me fazer enxergar, não expressar o que eu já enxergava. A maneira como ela e seus discípulos apresentam sua filosofia é única.

E isso me leva ao segundo motivo de escolher sua filosofia em detrimento a tantas outras: o Objetivismo possui uma estrutura lógica totalmente integrada. Isso significa que todas as proposições podem ser reduzidas às suas premissas mais básicas, consecutivamente, até o nível dos axiomas (verdades auto-evidentes). Tal estrutura auto-consistente não só torna fácil a compreensão de qualquer proposição, como pode também funcionar como uma base para avaliar quaisquer outras ideias filosóficas ou até mesmo sistemas inteiros. O motivo disso é que nenhum conceito pode ser uma abstração destacada do contexto, i.e., ele precisa ser fundamentado por conceitos em um nível inferior e, eventualmente, no nível perceptivo. Se isso não for possível, então, ele deve ser descartado.

Mesmo tendo lido excelentes histórias da filosofia antes de focar no Objetivismo, foi uma experiência única ter uma filosofia inteira literalmente exposta na minha parede (ver figura). É puro prazer poder pegar uma xícara de café e ficar em pé em frente ao diagrama, enquanto persigo proposições interessantes até suas raízes últimas, tentando entender, validar e julgar o que eu leio.

O diagrama da Estrutura Lógica do Objetivismo foi criado (e disponibilizado online de graça) pela Sociedade Atlas, um dos dois principais recursos online para aprender Objetivismo. A Sociedade Atlas pode ser considerada a vertente “mais branda” do Objetivismo, fundada pelo Dr. David Kelley. A outra vertente, digamos, mais ortodoxa seria o Instituto Ayn Rand (ARI), liderado por seu herdeiro e maior discípulo, o Dr. Leonard Peikoff. Juntas, ambas as instituições provêm uma riqueza de conteúdos educacionais essenciais que, arrisco dizer, podem levar um estudante dedicado a um grande nível de entendimento. Eu mesmo ainda estou longe disso, mas pretendo postar aqui o meu progresso.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s